A cardiologista Ludhmila Hajjar confirmou agora há pouco na CNN que declinou do convite para o Ministério da Saúde por divergir das políticas do governo federal de combate ao coronavírus. Ela ressaltou que “segue a ciência” e que é a favor do lockdown, medida não defendida por Jair Bolsonaro.

“Tudo que eu aprendi está acima de qualquer ideologia. Isso está acima de qualquer expectativa que não seja pautada em ciência. Esta é a minha posição. Fiquei extremamente honrada com o convite, mas pautei minha vida toda na ciência“, disse a médica.

“O lockdown já é provado cientificamente que salva vidas”, disse Hajjar. “O Brasil tem que procurar se pautar em evidências científicas para salvar a vida das pessoas. (…) Não assumo a pasta por motivos técnicos”, pontuou.

Facebook Comments